Apresentação em PowerPoint ou PDF

Solicite Orçamento Online

*Nome:
 
*E-mail:
   
*Empresa:
 
*Telefone:
-    
*Cidade:
 
*Estado:
*Nº de Usuários:
*Período:
Valor mensal (R$):
Como nos achou?
Observações:

* Campos obrigatórios

Dúvidas? Ligue (11) 4452-6450

 

Depoimentos

Iara Teixeira Pires, Gerente de Processos e Tecnologia da Informação da Eurobras, Brasil:
"A eficiência de todos os funcionários subiu pelo menos 50%. Outro fator importante é que podemos customizar o controle de envio de determinados tipos de anexos, evitando a evasão de dados sigilosos. Tivemos um impacto positivo com o SpamTitan."

Laudenir Pegorini, Gerente de TI da Iguaçu Energia, Brasil:
"Uma das vantagens para nós é que a nova ferramenta funciona tanto com produtos Microsoft, quanto com os da Apple, já que utilizamos ambas as plataformas."

Veja mais depoimentos e cases do SpamTitan.

Estudo: Brasil é terceiro país em maior número de spam

22 de junho de 2011

A AVG Technologies anunciou o resultado do Relatório Mundial de Ameaças à Segurança, desenvolvido entre abril e junho deste ano. O estudo, que identifica tendências e desenvolvimento de ameaças online, apontou o Brasil como terceiro país em maior número de spam. Os Estados Unidos continuam em primeiro lugar na lista, com o Reino Unido em segundo lugar.

O resultado ainda apontou que o Brasil deve passar o Reino Unido novamente nos próximos três meses, apesar da língua inglesa ser muito mais usada nesse tipo de mensagem.
"Esta pesquisa é muito interessante, pois com ela podemos medir a evolução dos ataques e a colocação do Brasil no ranking mundial de vírus", comentou Mariano Samrell, diretor de marketing da AVG Brasil.
A explicação para o crescimento dos vírus e spams no Brasil é econômica. O estudo diz que os cibercriminosos mudaram de mercados. Segundo, Yuval Ben-Itzhak, executivo da AVG Technologies, os dados indicam que centenas de servidores vivem em operação em todo o mundo e que a maioria deles estão ativos para roubar credenciais de usuários para serviços bancários online e outros ativos privados.
Ben-Itzhak afirmou que os usuários deixaram de ser o principal foco dos ataques. "Notamos também que as plataformas dos computadores de usuários estão deixando de ser o foco dos criminosos cibernéticos. Como as técnicas de ataques de hackers continuam muito ativas é preciso agir rápido, mas os usuários também precisam tomar uma atitude", explicou.
O crescimento dos dispositivos móveis também é visto como um novo alvo de ataques. "Os SMS e aplicativos falsos facilitam bastante a entrada de vírus nos dispositivos móveis. As técnicas de ataques a celulares são muito mais fáceis de operar do que em PCs", concluiu o cientista-chefe da AVG, Karel Obluk.
A AVG ainda constatou que como mais de 120 milhões de pessoas usando diversos aplicativos do AVG é possível fornecer 1,5 bilhão de ameaças potenciais diariamente.

Fonte: tecnologia.terra.com.br em junho de 2011.